Ceia de Natal: o que as grávidas devem evitar

As festas de fim de ano são marcadas pela ceia de Natal farta, e no ano novo ela também é cheia de gostosuras. Para quem está grávida, pode ser uma tentação resistir à mesa com peru, farofa, rabanada, pavê e vinho para acompanhar. Mas, muita calma nessa hora! Não é porque você está grávida que precisa comer por dois, mamãe!

As gestantes devem manter distância de alimentos crus e bebidas alcoólicas, que são terminantemente proibidos. Especialistas em nutrição afirmam que alimentos gordurosos e com muito sal também podem ser extremamente prejudiciais para a saúde da mãe e do bebê. Esse tipo de comida dificulta a circulação sanguínea, aumentando a pressão arterial.

Quais alimentos devo evitar na ceia de Natal?

Não precisa passar vontade! Para curtir a data com a família, basta fazer algumas substituições. Trocar os queijos e vinhos de aperitivo por castanhas e outras oleaginosas é uma ótima alternativa. Além de serem ricas em gorduras insaturadas – que fazem bem para o corpo – elas protegem o sistema cardiovascular, quando consumidas sem exageros, é claro.

Para evitar carnes que possuem grande concentração de gordura, dê preferência a cortes magros, e tenha certeza de que todas as carnes serão servidas em ponto bem passado. Dessa forma, você evita contaminação por bactérias. Retirar pele de carnes de aves e aquela gordurinha da carne vermelha também é uma dica de especialistas para a ceia de Natal das grávidas. Além dessas partes serem muito calóricas, essas gorduras são do tipo saturada, ou seja, que podem entupir artérias.

Louca por doces? E agora?!

O mesmo cuidado vai para a hora da sobremesa na ceia de Natal! O ideal é substituir doces açucarados por frutas da estação. Doces mais pesados como pavês, tortas e mousses possuem uma carga muito grande de açúcar.

Nessa fase, a gestante deve ter consciência de que é preciso ter moderação nas refeições, prezar pela qualidade dos alimentos e ficar de olho nos nutrientes que estão sendo ingeridos em cada refeição. Assim você garante sua própria saúde e se certifica de que o bebê está se desenvolvendo de forma saudável.

Ceia de Natal: O que o bebê pode comer?

É tempo de celebrar! A ceia de Natal é um dos momentos mais especiais dessa época de ano, quando exaltamos o amor e a união com uma mesa farta e recheada de delícias. Para os pequenos curtirem a data com saúde, a família precisa planejar os pratos que os bebês vão poder experimentar.

A partir de que idade o bebê pode comer?

Quando completam seis meses de idade, os bebês já podem iniciar a introdução alimentar. Mas isso não significa que ele já está pronto para encarar a farofa da vovó. É preciso respeitar as etapas do desenvolvimento do pequeno, especialmente quando ele acabou de conhecer novos sabores.

Até completar o primeiro ano, o consumo de frutas, legumes, verduras, proteínas magras, cereais e leguminosas está liberado, mas a família tem que ter um cuidado extra no preparo. Bebês tão pequenos não devem consumir produtos industrializados, gordura saturada e açúcar. O tempero da comida deve ser fresco e com pouquíssimo sal.

Essa é uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo interessante que a família mantenha a cautela até o segundo aniversário do pequeno. Preparamos uma lista com alguns pratos típicos da nossa ceia de Natal para exemplificar o que o bebê não pode comer:

  • Balas, doce de leite, brigadeiro;
  • Castanhas e nozes;
  • Uva passa;
  • Rabanada;
  • Pernil;
  • Tender;
  • Cidra sem álcool;
  • Gelatina colorida e sobremesas em geral;
  • Farofa;
  • Maionese;
  • Salpicão.

O que o bebê pode comer na ceia de Natal?

Na ceia de Natal, os papais podem separar os alimentos que podem ser consumidos pelos bebês, como os cortes de carne magra. O peru, por exemplo, se não estiver com um tempero muito forte, pode ser oferecido ao bebê sem problemas. O único cuidado é priorizar a parte magra da carne, como o peito, desfiadinho.

Outro prato que é saboroso e repleto de nutrientes é a lentilha, sem os acompanhamentos tradicionais (bacon e linguiça). Complete a refeição do pequeno na ceia de Natal com o arroz e salada, que pode ter ingredientes variados, sempre respeitando a regrinha de evitar sal e temperos industrializados em excesso.

Para a sobremesa, ainda não é o momento de apresentar os prazeres do pudim e do pavê. Deixe que o pequeno saboreie as frutas da estação, que são deliciosas e ainda ajudam a hidratar no clima quente do nosso país. Uvas, ameixa, manga, abacaxi, pêssego e melancia são ótimas pedidas para uma noite feliz!

Atenção ao risco de engasgo

Na hora de oferecer os alimentos aos pequenos, tenha cautela com os tamanhos dos pedaços. Corte frutas, legumes, verduras e carnes em pedaços pequenos. Uvas e tomates cerejas devem ser cortados em quatro pedaços. Nunca ofereça alimentos duros.